Arquivo do blog

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Post Comemorativo 6 - La Grande Vallée

Olá, pessoal!



HOJE
COMPLETAMOS 6 MESES

E para comemorar esta data em grande estilo, o post de hoje é sobre um recanto especial em Itaipava - RJ, chamado "La Grande Vallée", que guarda muitas memórias da passagem dos ases da aviação francesa pela região, inclusive do piloto e escritor Antoine Saint-Exupéry, 
autor da obra O Pequeno Príncipe.


Há 3 anos, Itaipava entrava para a minha lista de pesquisas, no entanto, as informações obtidas naquela época foram insuficientes. Em 2015, pude visitar a região e conhecer de perto as memórias desse lugar mágico!

No início, o local chamava-se "Fazenda São José do Magé e Ribeirão", tendo como proprietário o Sr. Bernardo Wickers Jr. Em 1912, a fazenda foi vendida para o Sr. Augusto de La Roque. 
O novo dono, que era aviador, costumava receber alguns amigos (também pilotos do Correio Aéreo Francês), entre eles, os experientes Jean Mermoz e Marcel Reine.

E não é para menos o número considerável de visitas ilustres! Itaipava está localizada entre vales e montanhas, possui uma beleza natural exuberante, além da proximidade com a capital, Rio de Janeiro. 
A região, que é cercada pela Mata Atlântica, faz parte de uma área de preservação ambiental, fiscalizada pelo IBAMA. Lá é possível encontrar árvores nativas de diversas espécies, como: Pau-brasil, Jacaré, Pinheiro, Quaresmeira, Sibipiruna, Mulungu, Paineira, entre outras. As maritacas, andorinhas, canários, pica-paus, bem-te-vis, tico-ticos, saíras, trinca-ferros, sanhaços, bem como esquilos, lagartos, cobras, gambás, tatus, ouriços e jacús; e claro, suas duas belas cachoeiras, compõem a magia do lugar.



Os aviadores franceses gostavam do clima fresco da montanha e de fazer longas cavalgadas pelo vale e proximidades, tanto que o piloto Marcel Reine resolveu comprar a propriedade dos herdeiros de Augusto de La Roque, em 1934. 
Em homenagem a sua terra natal, Reine apelidou a fazenda de "La Grande Vallée". O local tornou-se um recanto para ele e seus convidados, inclusive para seu camarada Antoine Saint-Exupéry e alguns intelectuais brasileiros da época, como Alceu Amoroso Lima e Augusto Frederico Schmidt.

Durante as paradas entre um voo e outro, os amigos pilotos descansavam na propriedade de Marcel, em vez de usar o alojamento da base aérea do Campo dos Afonsos (RJ), já que a fazenda possibilitava maior privacidade e conforto (apesar da precariedade da iluminação e da estrada). Para ter acesso a região (Rio de Janeiro - Itaipava) era usado automóvel ou trem Maria Fumaça, passando por dentro da cidade imperial, Petrópolis. Para chegar a La Grande Vallée era usado automóvel ou carro de boi, pois na época, a estrada era de difícil acesso durante os períodos de chuva.

Em 1938, Marcel Reine foi transferido e passou a atuar em outra região, na linha Natal-Dacar. Chegou a voltar para a Europa, mas morreu em 1942, tendo seu avião abatido por engano, durante a Segunda Guerra Mundial.

Em 1939, a fazenda foi vendida para a família do atual proprietário, José Augusto C. Wanderley, que hoje zela minuciosamente pela preservação das memórias da passagem dos aviadores franceses pela região, tornando-se responsável pelo, digamos, santuário do Pequeno Príncipe. Seu acervo possui diversos documentos, fotos, recortes jornalísticos, obras literárias e objetos decorativos relacionados a obra, ao escritor e ao antigo dono. 

Além da beleza natural, a residência possui um jardim com várias espécies de flores, entre elas: bromélias, azaleias, hibiscos, flamboyants, bougainvilles, jasmins, cedrinhos, margaridas, hortênsias, antúrios e rosas. Quem tem a honra de conhecer La Grande Vallée, pode ainda contemplar uma fonte de pedras, decorada com um painel de azulejos ilustrando O Pequeno Príncipe, com a seguinte frase: 

"o que torna belo o deserto é que ele esconde um poço nalgum lugar"

A fonte foi restaurada no ano 2000, com apoio da Prefeitura de Petrópolis e da FIRJAN (Federação das Indústrias do Rio de Janeiro), em comemoração ao centenário de Saint-Exupéry (1900-1944). Uma placa comemorativa foi instalada na praça em frente a fonte, que passou a se chamar Lourival Cavalcanti Wanderley (pai de José Augusto), com a seguinte frase: 

"Homenagem ao escritor e aviador no centenário de seu nascimento, marcando sua passagem pelo Vale do Ribeirão, La Grande Vallée nas décadas de 30 e 40, para orgulho das terras de Itaipava."


Em 2014, o local foi palco de mais uma recepção especial, agora dos membros do "Raide Latécoère 2014" (pilotos que realizam voos de longo percurso, refazendo as escalas da Aéropostale - Correio Aéreo Francês). O evento recebeu apoio da Prefeitura de Petrópolis, do MUSAL (Museu Aeroespacial - RJ) e da tradutora e pesquisadora Mônica Cristina Corrêa (representante oficial da Succession Saint-Exupéry em SC, representante da Fondation Raid Latécoère e presidente da AMAB - Associação Memória da Aéropostale no Brasil). Mônica foi responsável  pelo planejamento/coordenação/execução das ações em terras brasileiras, inclusive tendo acompanhado os pilotos nas cidades de Pelotas (RS), Florianópolis (SC), Santos (SP) e Natal (RN) - lugares que funcionaram como posto da companhia área francesa.

Apesar de a fazenda ainda não fazer parte do roteiro turístico da região, há um projeto junto à Prefeitura e a Diretoria de Cultura e Turismo de Petrópolis, para que futuramente o local possa se tornar um atrativo turístico. 

José Augusto C. Wanderley é formado em Administração. 
Além de publicitário e jornalista, ele é um admirador de temas relacionados à História, representante da AMAB no Rio de Janeiro e adepto a prática de colecionismo. Dentre algumas de suas coleções particulares, a que mais se destaca é sem dúvidas a "La Petite Galerie de Jouetes", com mais de 5 mil peças, entre elas: miniaturas de automóveis, ônibus, trens (Lionel, Diesel e Maria Fumaça), lanchas, aeronaves, maquete, posters, quadros, bonés, camisetas, livros, credenciais, inclusive uma boa parte do acervo é dedicado à Ferrari, sua equipe de automobilismo favorita.

A história de Itaipava e seus ilustres visitantes só pôde ser contada com tantos detalhes, principalmente por causa da contribuição de duas pesquisadoras: Daura Barbosa de Resende (responsável por colher testemunhos e reunir documentos históricos durante muitos anos) e Mônica Cristina Corrêa (responsável por difundir para o mundo as memórias do lugar e incentivar a preservação), ambas contribuindo para o enriquecimento cultural da região e das futuras gerações.




Gratidão a cada um(a) que contribuiu para que o blog se fortalecesse durante esses seis meses!
Que venham outros inúmeros semestres de bençãos!

Beijão, até a próxima!




Fontes da pesquisa: 

Guia de Itaipava
Acontece na Serra do Rio
Prefeitura de Petrópolis
AMAB - Associação Memória da Aéropostale no Brasil 
Saint-Exupéry, o Zeperri
Le Petit Prince Oficialle
Tribuna de Petrópolis
Tribuna de Itaipava
Diário de Petrópolis
G1 - Região Serrana
O Globo
Revista Época
Revista MultiStar
Revista Casa & Campo

Colaboração e agradecimentos: José Augusto C. Wanderley.








4 comentários:

  1. Waaaa que lindo T.T
    Fico imaginando os parques temáticos e o vilarejo no Japão ❤️
    Diariodelolivlet.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Um dia seria pouco para conhecer tudo do parque francês e do vilarejo japonês!rs
    Eu, por exemplo, fico querendo fotografar tudo hahaha
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Sou apaixonada por O Pequeno Principe, estou encantada com seu blog
    http://toobege.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eba, Mariana!!! Amo encontrar fãs do Pequeno Príncipe!Fico feliz que tenha gostado do Blog. O seu transparece que é feito com muito amor também. Menina, que estante rosa espetáculo é aquele??? *-*

      Excluir